Correio dos Campos

Ponta Grossa está entre as 5 cidades das 154 com mais de 200 mil habitantes que não tiveram mortes confirmadas de coronavírus

16 de Maio de 2020 às 08:57
(KTSDESIGN/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

Apenas 5 cidades dentre 154 com mais de 200 mil habitantes no país não registraram mortes pelo novo coronavírus até esta sexta-feira (15). São elas: Colombo (PR), Ipatinga (MG), Pelotas (RS), Ponta Grossa (PR) e Ribeirão das Neves (MG).

A Covid-19 já se espalha por 2.964 das 5.570 cidades brasileiras e matou mais de 14 mil pessoas em pelo menos 1.086 delas. Mas a maior concentração da doença ainda está nos municípios maiores: 73% dos casos e 78% das mortes foram confirmados onde há vivem de 200 mil cidadãos.

Como em todo o Brasil, os números de casos da Covid-19 têm avançado nos municípios que ainda não tiveram mortes – e pode ser ainda maior do que os já registrados, em razão da falta de ampla testagem. Mesmo considerando a possível subnotificação de casos, com exceção de Colombo, as cidades cidades nesta reportagem não registraram até agora enterros acima da média. E os hospitais não estão perto da lotação. Em comum, esses municípios adotaram medidas de distanciamento social. No entanto, ao menos três deles já começaram a relaxar as medidas.

Ponta Grossa (PR) – 32 casos (até às 9 horas deste sábado)
A cidade está testando apenas casos moderados e graves. Dos 32 casos de Covid confirmados, 41% são de profissionais da saúde. O secretário municipal adjunto de Saúde de Ponta Grossa, Rodrigo Manjabosco, diz queas medidas tomadas em março ajudaram a reduzir o número de casos. “O estado como um todo conseguiu fazer o achatamento da curva, porque vários municípios tomaram medidas de preocupação e atuaram em conjunto”, afirma. “Muita gente tomou as primeiras medidas como desnecessárias, exageradas, mas hoje reconhece que foram acertadas.”

No tempo que manteve a curva mais achatada, o município diz que conseguiu organizar melhor o sistema de saúde, comprar mais equipamentos de proteção para funcionários da saúde e criar um serviço para monitorar por telefone casos suspeitos de Covid com sintomas leves.

Fonte: G1