Correio dos Campos

SOS Pandemia conta com apoio da ACIPG

Ferramenta desenvolvida pela UTFPR e UEPG converge interesses de doações
6 de Maio de 2020 às 18:00
(Divulgação/ACIPG)

COM ASSESSORIAS – Em tempos de pandemia do novo coronavírus, site criado pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), busca unir quem deseja doar e entidades cadastradas que precisam de ajuda, como unidades de saúde do Brasil, ONGs e projetos sociais. Com a plataforma em funcionamento, idealizadores necessitam que a iniciativa seja conhecida por doadores. A Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) apoia esta ideia e convida os empresários a conhecerem a proposta.

Segundo a professora da UTFPR Sani Rutz, em meio à pandemia mundial, provocada pelo vírus COVID-19, muitas ações voluntárias de solidariedade têm surgido, derivadas de necessidades antes desconhecidas por todos. “O SOS Pandemia surgiu da observação das reportagens que mostraram várias equipes se unindo com o objetivo de contribuir com as unidades de saúde, como fabricação de máscaras de proteção, aventais cirúrgicos, manutenção de respiradores. E daí nos questionamos, ‘mas se eu tenho alguma atividade que me permite contribuir, quem precisa, como eu iria saber?’. Foi assim que construímos a ferramenta em que qualquer unidade de saúde ou instituição que serviço social pode cadastrar as demandas que tornam possível a realização de suas atividades”, explica Sani.

Na página inicial, é possível consultar as demandas que já foram listadas pelas instituições cadastradas. Os recursos podem ser rastreados, controlados e gerenciados em tempo real com informações de status e uma integração de sistemas de almoxarifado, manutenção e compras. “As instituições que necessitam de doações cadastram o que estão necessitando e possibilitam que as pessoas ou empresas ajudem com doações espontâneas”, disse.

Sani entende que o projeto pode dar suporte para as instituições que necessitam de doações em todo o território nacional, mas para tanto é necessário que quem tenha interesse em ajudar neste momento difícil, tenha conhecimento da existência da plataforma. “O Hospital Universitário Regional em Ponta Grossa, por exemplo, colocou que necessita de 10 mil máscaras PFF3, temos várias demandas, até de Goiânia, por ser um sistema nacional. Seria importante que os empresários não apenas de Ponta Grossa tivessem conhecimento, pois podem comprar e entregar as doações divulgadas pelo sistema”, salienta a professora, relatando que as empresas que fizeram as doações.

Ana Claudia Matuch, diretora do ACIPG Mulher, vê a plataforma como uma excelente oportunidade de ajudar as instituições que necessitam de apoio, em virtude da pandemia do novo coronavirus. “Cada um ajudando como pode, conseguimos auxiliar uma quantidade maior de pessoas. O SOS Pandemia é uma ferramenta importante neste momento, considerando que existem muitas pessoas que querem realizar doações, mas não sabe onde estão precisando. Em virtude disso, esta plataforma vem ao encontro desta necessidade de convergência de interesses”, finaliza a diretora.