Correio dos Campos

Aos gritos de “assassina”, mulher suspeita de matar a ex-companheira é presa

23 de Maio de 2020 às 09:43
JULIANA, Á ESQUERDA, FOI MORTA COM CINCO DISPAROS (FOTO: REPRODUÇÃO/ RECORD TV)

RIC MAIS – Um crime chocou a região dos Ypês, na Zona Norte de Mogi Guaçu, em São Paulo nesta semana. Na noite de terça-feira (19), Juliana Cristina Cairos, de 34 anos, foi assassinada em frente a casa que morava com os pais com pelo menos cinco tiros. A principal suspeita da autoria do crime é a ex-companheira Daiane Lima, de 38 anos, que foi presa nesta quinta-feira (21).

De acordo com conhecidos do casal, as mulheres mantiveram uma relação durante quatro anos, porém, após problemas há alguns meses estavam separadas. A última briga teria ocorrido há 15 dias, desde então Juliana e Daiane não teriam mais se encontrado.

Crime em frente de casa
Por volta das 21h30, da última terça-feira (19), Juliana foi atender a um chamado em frente de casa, localizada no Jardim Santa Felicidade. Após alguns minutos, os pais da mulher escutaram alguns disparos e na sequência um vizinho gritando.

O pai da vítima revelou a Record TV que a princípio não percebeu que os barulhos eram de disparos de arma de fogo. Porém, quando ouviu o vizinho chamar, encontrou a filha caída na rua, já sem vida.

Próximo ao corpo estava uma moto Yamaha Factor 125, uma bolsa e um coldre de arma. A suspeita é que o crime tenha sido cometido pela ex-companheira de Juliana, Daiane Lima. Há quatro meses, após outra briga do casal, o carro de Juliana foi queimado e a suspeita é que a ex também tenha sido a responsável, visto que ela tinha a chave do veículo.

Após prestar depoimentos na delegacia, Daiane foi encaminhada para Instituto Médico Legal (IML), para realizar exames, e na sequência foi detida.