Correio dos Campos

Mulher é investigada por maus tratos após usar cachorros no ‘desafio da farinha’

O caso ocorreu na cidade de Londrina, no norte do estado, na noite deste domingo (10)
12 de Maio de 2020 às 08:28
Foto: reprodução

Seguindo uma tendência de diversos usuários de redes sociais, uma mulher, no município de Londrina, norte do estado, resolveu entrar na onda e gravou um vídeo realizando o “desafio da farinha”. No entanto, após o vídeo “viralizar” nas redes sociais na noite deste domingo (10), o que era pra ser, apenas, uma brincadeira, se tornou em uma prática criminosa de maus tratos aos animais.

O Delegado Matheus Laiola da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), disse à Banda B, que soube do caso na manhã desta segunda-feira (11), após ver diversas marcações com o seu nome, no vídeo, nas redes sociais. Imediatamente, a DPMA passou a fazer as investigações para saber de onde era o vídeo.

“Nós descobrimos que o caso era em Londrina. Imediatamente, entrei em contato com a Polícia Civil local. Logo, eles também tomaram conhecimento. A partir disto, começamos a trocar informações”, detalhou.

Pouco depois de iniciar as investigações, Matheus mencionou que o vídeo e o perfil da responsável desapareceram. Segundo o delegado, a mulher percebeu a enxurrada de críticas que e a quantidade de denúncias. “Ela tentou se esconder, porém, ela, simplesmente, se tornou famosa por esta barbaridade”, afirmou.

Situação atual

A Polícia Civil (PCPR) de Londrina já identificou a internauta. A mulher pode responder pelo crime de maus tratos. Se condenada, pode pegar um ano de prisão. Além disto, a prefeitura de Londrina também tem o poder de retirar à guarda dos animais da mulher.

Matheus mencionou quais serão os procedimentos aplicados neste momento. “Eu contactei uma médica veterinária que irá atestar, se houve, a prática de crime de maus tratos. A secretaria de bem-estar animal, da prefeitura de Curitiba, já preparada, se houver a necessidade de recolher os dois animais”, disse.

No entanto, mesmo que ocorra a condenação, o delegado disse que as chances da suspeita ser presa, são baixas. “É uma pena branda. Então, provavelmente, a Justiça irá faze-la pagar uma multa ou uma fiança em forma de cesta básica. Além da possibilidade de prestação de serviços à comunidade. Caso ela não perca a guarda, sob o ponto de vista administrativo, a prefeitura também pode aplicar uma multa a responsável”, explicou.

Fonte: Banda B