Correio dos Campos

Canoa afunda no Rio Paraná e quatro pessoas estão desaparecidas

5 de Maio de 2020 às 08:28
divulgação

Um acidente no Rio Paraná tem mobilizado as equipes de resgate desde a noite desta segunda-feira (4). Uma canoa afundou no rio e pelo menos quatro pessoas estão desaparecidas. As pessoas tentavam atravessar de forma ilegal, já que a fronteira está fechada por causa da pandemia de coronavírus.

O número inicial de desaparecidos era 12, mas a imprensa paraguaia atualizou o número de pessoas desaparecidas no Rio Paraná para quatro. Outras quatro foram resgatadas com vida.

O chamado de resgate veio de um adolescente que estava no barco. Segundo o rapaz, que tem 16 anos, ele e os demais estavam atravessando o Rio Paraná em uma canoa pequena. Todos são homens paraguaios que trabalham como estivadores no Brasil. Somente ele conseguiu escapar e chamar socorro.

Por conta da restrição de entrada de estrangeiros, o grupo tentava chegar ao lado brasileiro de forma ilegal. Porém, o adolescente relatou que o barco onde eles estavam teria sido atingido por uma embarcação maior.
Todos caíram na água e o que se sabe é que somente o adolescente conseguiu chegar até a margem do Rio. Os demais estão desaparecidos.
O adolescente disse que o barco que causou o acidente era parecido com o que é utilizado pela Polícia Federal. No entanto, a Rádio Cultura entrou em contato com o Núcleo de Polícia Marítima da Polícia Federal (Nepom), que negou a informação.
De acordo com o Chefe do Nepom, Augusto Rodrigues, na noite desta segunda-feira não havia nenhuma embarcação da Polícia Federal no Rio Paraná. Veja a entrevista de representantes da polícia paraguaia para à imprensa local em espanhol:

Polícia Federal se manifesta sobre acidente na fronteira

Em nota, a Polícia Federal confirmou as informações sobre o naufrágio da embarcação paraguaia, que estaria transportando clandestinamente diversas pessoas do Paraguai para o Brasil pelo Rio Paraná. Segundo a PF, a embarcação teria saído do bairro Remansito, em Ciudad del Este, aproximadamente às 19h30, e se chocado contra outro barco durante a travessia do rio.

Conforme a PF, especula-se que essa outra embarcação que teria provocado o acidente pertenceria à Polícia Federal. “Todavia, a Polícia Federal esclarece que todas as suas embarcações estavam atracadas na base no horário do acidente, logo, tal afirmação é falsa”, informa a nota, destacando que a Polícia Federal colocou-se à disposição da Marinha do Brasil e da Armada do Paraguai para auxiliar no resgate das pessoas.

Fonte: RicMais