Correio dos Campos

Paraná deve sofrer com estiagem até setembro e rodízio de abastecimento pode ser ampliado

A seca do Paraná já dura quase um ano, com chuvas bem abaixo da média histórica desde junho de 2019
5 de Maio de 2020 às 08:32
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Levantamentos iniciais do Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná) apontam o período de estiagem no estado se estendendo até setembro. Com a seca se agravando, a ampliação do rodízio no fornecimento de água deve acontecer em diversas regiões.

Pelo menos é o que diz a diretora de Políticas Ambientais da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Fabiana Campos. “As projeções mostram que a seca tende a se agravar. Esse grupo irá fazer o acompanhamento e monitoramento diário em busca de tomar as decisões mais acertadas, priorizando o consumo humano e animal”, afirmou.

Grupo

O grupo, ao qual Campos se refere, foi criado no final de Abril pelo Governo do Estado para propor a regulamentação de critérios para o uso racional e de reuso da água em todo o território paranaense.

Compõem o grupo profissionais do Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, da Sanepar e das federações das Indústrias (Fiep) e da Agricultura (Faep).

Rodízio

Fábio Basso, gerente de Produção de água de Curitiba e Região Metropolitana da Sanepar, explica que o rodízio de abastecimento é reavaliado diariamente. “Os bairros programados para o rodízio que estamos divulgando com antecedência serão mantidos. O que acontece é que temos uma avaliação diária a respeito disso, sempre com o desejo de suspender o rodízio”, disse Basso.

A seca do Paraná já dura quase um ano, com chuvas bem abaixo da média histórica desde junho de 2019, de acordo com o Simepar.

Ele reforça a necessidade de racionamento de água. “Estamos batendo muita na tecla do uso consciente da água, pois não estamos com uma situação normal. Não há necessidade de lavar uma calçada ou um carro nesse momento. O uso da água potável agora deve ser exclusivo para higiene pessoal e alimentação, mesmo nas regiões que ainda não estão em rodízio”, afirmou o gerente da Sanepar.

Além do pedido para que a população racione o uso da água, a Sanepar tem antecipado obras para melhorar a distribuição e reduzir o impacto do problema. “Melhorias foram realizadas no Reservatório Corte Branco para que possamos levar mais água para regiões populosas como os bairros Xaxim, Tatuquara, Cachimba. Em Fazenda Rio grande, também concluímos uma obra para praticamente normalizar o abastecimento”, revelou.

Fonte: Banda B